23 de agosto de 2012

Resenha: A Janela de Overton


Autor: Glenn Beck
Editora: Novo Conceito
Edição: 1/2011
Numero de Paginas: 384

Uma conspiração contra os EUA vem sendo preparada há cem anos, e agora está prestes a ser colocada 
em prática... Alguém será capaz de impedi-la? 
E se você descobrisse que tudo em que você acreditou até hoje não passa de uma grande farsa? Que a 
roupa que você veste todos os dias pela manhã, assim como o carro que você dirige não são escolhas suas? Que o governante que você elegeu na última eleição para comandar sua cidade e seu país também não depende de você? E se chegasse à conclusão de que toda autonomia e livre-arbítrio que você julga ter, na verdade, atendem a outro comando que não as suas idéias e a sua própria vontade?

“A Janela de Overton” um nome bastante intrigante para se dar a um livro, despertou minha curiosidade ainda mais devido à capa, onde mostra uma Estátua da Liberdade? Não. Não é a estatua que conheço, devido a dois simples detalhes: a do livro é uma silhueta masculina, enquanto a real é feminina, e aonde devia estar um pergaminho está uma lança?! Sim. Realmente é uma lança. E o que mais me agradou foi que para descobrir tive de ler o livro inteiro, uma surpresa do gênero, já que romances polícias são previsíveis e todo mundo já sabe o final. Mas felizmente dessa vez eu não sabia!  

O livro é focado em uma conspiração que pretende unir todos os governos do mundo, igualar as moedas e os idiomas. E o contra ataque de um grupo de humanitários que tentam impedir a todo custo que este plano apocalíptico aconteça.

Apesar de a sinopse sugerir, o livro tem pouca ação, ela acontece pouquíssimas vezes, e assim não posso dizer que seja o combustível do livro.

O autor opta na reflexão, através de frases de pensadores famosos, fazer o leitor entender o seu embasamento. Assim, por dizer, a leitura no começo torna-se um pouco cansativa, justificado pelo fato da apresentação do tema que ocorre neste momento.

Achei desnecessária a introdução de um romance, já que ele soa superficial e sem química alguma. Chega a ser um tanto confusa essa relação, que poderia ser evitada, ainda mais que a história não se foca neste quesito.

O título é explicado detalhadamente, mas mesmo assim é necessária certa atenção, já que, se você não compreender neste momento, esqueça que não entenderá mais.

O livro é inteligente e espirituoso, faz você colocar em debate muitas questões políticas do dia-a-dia. Por isso ALERTA! Se você não curte muito política, não chegue nem perto. O livro tem bastante, e quando digo bastante, é bastante mesmo.

Tirando o romance fajuto e o começo cansativo, gostei bastante da leitura, por me forçar certa concentração devido aos assuntos que até então eram desconhecidos por mim. Depois de certo tempo a leitura fluiu, consegui me conectar com os propósitos do autor, que são engajadíssimos.

A Janela de Overton é um livro curioso e ao mesmo tempo amedrontador, exige atenção e muita reflexão. Falha no romance, mas conquista em propósitos. É um típico livro de se ter amor e ao mesmo tempo ódio. 

"A maior parte das pessoas pensa na experiência em termos de anos, mas a, bem da verdade, o que a define são alguns momentos decisivos. Em geral nunca mudamos e passamos boa parte da vida na mesma, até que derrepente crescemos de maneira súbita, em momentos decisivos."
Pag. 21

"O homem sábio é aquele que sabe que, se não dá para mudar isso, é melhor então tirar o máximo de vantagem das coisas." Pag. 169

 Nota:(4)

13 comentários:

  1. Opaa, eu tenho este livro.
    Ele está na pilha de livros novos que ainda não foram lidos.
    Tua resenha fez eu não sentir vontade de lê-lo...
    Ele vai continuar na pilha de não lidos por mais um tempo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Alessandra. Esse não parece ser um livro que agradará a todos! :S Mas o Felipe se saiu bem na resenha né? ;)

      Excluir
    2. Alessandra como disse tem gente que ama, e outras odeiam! Meio complexo, mas é a realidade! Abraço.

      Excluir
    3. A resenha ficou ótima, consegui captar perfeitamente a opinião do Filipe. Está de parabéns!
      Mas to com 'medinho', hahaha não queria me decepcionar com o livro. Vou deixar ele separado, pra um dia que eu estiver com mais paciencia. Por enquanto, vou escolher um mais leve.

      Excluir
  2. Faz tempo que olho esse livro na livraria e penso se ele seria o que eu preciso ler... :)
    Ainda estou na dúvida.
    Gostei de você avisar do autor escrever sobre política *muita política*, alguns não gostam quando o tema adentra nessa área, eu gosto para ter mais argumentos em discussão sobre o tema.
    ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom ler algum livro e poder usar o que você aprendeu depois, né? Eu adoro!! :D

      Excluir
    2. Franci que bom que gostou, se você curte não perca tempo, vai valer a pena. Beijos, volte sempre

      Excluir
  3. Resenha muito boa. Apesar de não ser o meu tipo de leitura, me deixou bastante curioso!

    Wendell Carvalho
    http://somethingaboutbooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Gostei da resenha, está bem concisa e direta...
    Este não é o meu gênero favorito de leitura, mas mesmo assim pretendo lê-lo!

    Atenciosamente,
    David.H.S
    http://livrosemaisseries.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ler com paciência e mente aberta, talvez você adore! Abraços.

      Excluir
  5. Oi! Cara, gostei muito do conteúdo do blog e desde agora estou seguindo! Parabéns pela resenha, ficou ótima. E estou curiosa para ler esse livro, a capa é muito linda e o título um tanto intrigante...
    Bjs, Ruama.
    http://esquiloscorderosa-ruama.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Ruama!!! Obrigado mesmo! Também sou fã da capa desse livro, tem umas de outros países que também são bem legais!

      Excluir
    2. Seja bem-vindo Ruama, e que bom que gostou... Espero que volte sempre! Abraços.

      Excluir