27 de março de 2013

Resenha: Deslembrança

Autor: Cat Patrick
Editora: Intrínseca
Edição: 1/2012
Numero de Páginas: 256

Toda noite, quando London Lane recosta a cabeça no travesseiro e dorme, cada mínimo detalhe do dia que viveu desaparece de sua memória. Pela manhã, restam-lhe apenas lembranças do futuro: pessoas e acontecimentos que ainda estão por vir. Para conseguir manter uma rotina minimamente normal, London escreve bilhetes para si própria e recorre à sempre fiel melhor amiga. Já acostumada a tudo isso, ela tenta encarar a perda de memória mais como uma fatalidade que como uma limitação. Mas, quando imagens perturbadoras começam a surgir em suas lembranças e London precisa, de algum modo, escapar delas, fica claro que para entender o presente e o futuro ela terá que decifrar o que ficou esquecido no passado.


Eu estava em meio a um momento turbulento em minhas leituras quando resolvi ler Deslembrança, queria ler algo leve e rápido, estava cansado de ler livros muito “profundos”, por isso, não esperava muito da história. O livro me surpreendeu bastante, era tudo o que eu estava procurando... Vamos à resenha!

London só não é a típica garota americana pelo fato de todas as madrugadas as 4h33 esquecer de tudo o que vivenciou no dia anterior.  Por isso, todas as noites se vê obrigada a escrever em bilhetes todas as informações do dia, para no dia seguinte poder ler e “relembrar” tudo o que aconteceu.  A grande questão é “Por que London se esquece?”, sua mãe parece saber, mas evita falar com a filha sobre o assunto. 

Aparentemente Deslembrança é apenas um livro de romance drama. Com uma garota esquecida, que se vê obrigada todos os dias a reler suas memórias, até a de que tem um namorado. A princípio acreditei ser alguma doença ou anomalia, o que seria típico de um drama, mas a autora aos poucos foi me surpreendendo ao revelar mais do passado da protagonista, onde mora o x da questão de seu atual (?) problema.

London acredita poder ver o futuro, e isso me deixou bastante confuso, pois eu não entendia, e não entendi o porquê. A autora tem uma escrita bastante dinâmica, com pouca pontuação. Facilitou bastante a leitura, no sentido de velocidade, mas em alguns trechos acabou deixando a narrativa um pouco confusa.

A história teve um decorrer esperado, para uma leitura intermediária (livros de leitura rápida com trama clichê, que cumprem seu principal objetivo que é entreter), mas a autora deslizou no final ao inserir outra trama, em vez de fechar as pontas da história abriram muitas outras, um pecado imperdoável para um livro sem continuação.  Talvez, a intenção da autora fosse justamente essa, deixar os leitores no final insatisfeitos e sedentos por respostas, talvez, a ideia era de cada um imaginar o que viria a seguir (só que não). 


Nota:(2,5)

2 comentários:

  1. Parece que esse era um livro que tinha tudo para ser bom mas não conseguiu! Porque essa história de perder a memória sempre me instigou e gosto desses casos, mas quando as coisas não tomam o rumo certo para serem desvendadas, não tem muita graça né?
    Beijo,
    Nic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com muita certeza Nic...
      E o grande problema do livro foi que no final a autora levou a história para um rumo, ou melhor, um gênero novo. Era como se estivesse começando outra história!
      Beijos.

      Excluir