26 de agosto de 2013

Resenha: O Resgate do Tigre

Autor: Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Edição: 1/2012
Número de Páginas:  432

Kelsey Hayes nunca imaginou que seus 18 anos lhe reservassem experiências tão loucas. Além de lutar contra macacos d'água imortais e se embrenhar pelas selvas indianas, ela se apaixonou por Ren, um príncipe indiano amaldiçoado que já viveu 300 anos. Agora que ameaças terríveis obrigam Kelsey a encarar uma nova busca – dessa vez com Kishan, o irmão bad boy de Ren –, a dupla improvável começa a questionar seu destino. A vida de Ren está por um fio, assim como a verdade no coração de Kelsey. Em O Resgate do Tigre, a aguardada sequência de A Maldição do Tigre, os três personagens dão mais um passo para quebrar a antiga profecia que os une. Com o dobro de ação, aventura e romance, este livro oferece a seus leitores uma experiência arrebatadora da primeira à última página.

Leia antes a resenha do livro A Maldição do Tigre


O Resgate do Tigre, segundo volume da série Tigre, começa no exato momento em que parou seu livro antecessor. Nele, Kelsey volta para os EUA na tentativa de esquecer Ren e continuar com sua vida, mas percebe que a distância se torna cada vez mais insuportável, já que o “jovem” príncipe insiste em presenteá-la, fazendo com que as lembranças e os sentimentos não lhe abandonem.  No desespero em esquecê-lo, Kelsey se relaciona com outros garotos o que acaba sendo frustrante, já que no momento em que começa a superar, mesmo que pouco o tigre branco, eis que ele viaja da Índia até os States atrás da jovem, e se muda ao lado de sua casa.

Colleen aproveita esse momento na história, para desenvolver melhor a relação, antes indefinida de Ren e Kelsey. É um momento muito divertido na trama, me fez lembrar muito filmes de comédia romântica, principalmente quando o irmão chato, aqui no caso Kissan, surge na história para atrapalhar o ninho de amor do casal.

Mas nem tudo são flores, e como todo amaldiçoado, os irmãos tigre levam problemas para os EUA, pois Lokesh o feiticeiro do mal, quer os amuletos de Kishan e Ren para se tornar indestrutível. E não mede esforços para conquistar o que deseja.  E é nesse ponto em que o tom da história muda novamente, abandonando o romance, encorpando-se de muita aventura. 

Colleen demonstra domínio sobre sua escrita, posso dizer que ela chega a ter um estilo próprio, pois consegue misturar sem esforços, romance, aventura, drama, fantasia e humor em um livro só. O que acaba se tornando seu ponto mais forte. Já que O resgate do Tigre deixa a desejar no quesito trama se comparado com A Maldição do Tigre. Isso porque, a história se limita em poucos acontecimentos, alguns com descrições extensas e outros breves, deixando uma pequena sensação de “encher de lingüiça”.

O que me irritou bastante na leitura, foi uma característica clichê de histórias românticas que a autora insistiu em desenvolver, o triangulo amoroso, achei forçado e desnecessário.  Poderia ter se focado mais no amadurecimento da protagonista, que mesmo enfrentando seres mitológicos, aprendendo a lutar, insiste em dar uma de frágil na hora “H”.


De resto, acho que têm muita história boa para rolar, principalmente a do vilão Lokesh, que ainda neste livro não foi devidamente apresentado.  Basta torcer para Colleen não se perder na história na tentativa de estender a trama. 



Nota: (3,5)

Nenhum comentário:

Postar um comentário